História do Opala no Brasil

História do Opala no Brasil é sensacional, confira.

Além do futebol, o brasileiro também é apaixonado por carros. Há muitas décadas os carros são o sonho de consumo de muitas pessoas em todo o mundo e ao longo dos anos isso não mudou muito. Os carros continuam sendo bens de consumo importantes e desejados.

História do Opala no Brasil

O Opala é um velho conhecido para muitas pessoas, talvez alguns jovens não se lembrem ou nunca tenham ouvido falar dele. Nascido com o nome de Projeto 676, o Opala é um clássico e a história do Opala no Brasil aconteceu durante sua fabricação entre os anos de 1968 e 1992.

Ao longo de sua história no pais, o modelo teve algumas versões, como a sedan, cupê e perua. Todos totalizaram quase um milhão de unidades vendidas ao longo de sua trajetória no Brasil.

Sua produção se iniciou em meados de novembro do ano de 1968, o Opala foi o primeiro automóvel fabricado pela Chevrolet no país. Durante os vários anos de fabricação ele foi sem dúvida, um símbolo de requinte e sofisticação.

O nome escolhido para o primeiro carro nacional da montadora remetia a uma pedra preciosa, a opala. É uma pedra significativa com duas reservas de relevância mundial, uma na Austrália e outra no Brasil, daí a inspiração para o nome.

Lançamento no Brasil

História do Opala no Brasil

O Opala foi apresentado ao grande público no Salão do Automóvel de São Paulo no ano de 1968, com uma carroceria sedan de quatro portas que poderia ser adaptada em duas versões, a standard e a luxo.

Design inovador

O design era bastante inovador para a época, imponentes linhas horizontais cromadas, faróis circulares embutidos, calotas cromadas e curvas nas laterais e traseiras. Em sua versão luxo, o modelo trazia ainda mais inovações para a época como a luz de ré, que não era obrigatória e logo não estava presente em todos os modelos vendidos naquele tempo.

A propaganda de lançamento do Opala foi estrelada por Tônia Carreiro, Jair Rodrigues e o famoso jogador Rivelino que diziam: “Meu carro vem aí”.

A Linha Opala fez tanto sucesso que gerou mais de dois mil novos empregos dentro da montadora, além de diversas outras empresas que se ofereciam para produzir peças para o modelo.

Opala SS

A versão esportiva do Opala chegou no mercado em meados de 1970, era o Opala SS, com faixas pretas no capô, laterais e traseira e rodas esportivas. A versão Cupê, tinha apenas duas portas, era bastante parecido com um conversível com capota.

Em 1975 foi lançada a versão Caravan ou perua, mesmo sendo um modelo maior, continuou com duas portas. E em 1977, chegava o Opala Diplomata, que nada mais era do que uma versão mais luxuosa da Caravan, vinha com ar condicionado, motor de 6 cilindros, direção hidráulica e toca-fitas.

Em abril de 1992, o Opala saiu de linha, após 23 anos ininterruptos de produção e de muito sucesso. Ele é sem dúvida um clássico entre os veículos produzidos pela indústria automobilística brasileira, ele fez parte da construção da história de sucesso da Chevrolet no Brasil, e é até hoje um objeto de desejo para muitos fãs e colecionadores por todo o pais.

Comentários