História do Fusca no Brasil

História do Fusca no Brasil revela que ele era um carro para os abastados e depois se popularizou.

Diversos carros antigos ficaram de fato na memória de muitos brasileiros, um deles é o famoso Fusca, que foi o primeiro carro nacional da montadora Volkswagen no Brasil no ano de 1959.

História do Fusca no Brasil

A história do Fusca no Brasil nos mostra que, na época ele foi chamado inicialmente de Volkswagen Sedan, e era montado num galpão no bairro do Ipiranga na cidade de São Paulo.

As peças vinham diretamente da Alemanha para ser montado no país, aos poucos as peças foram sendo nacionalizadas até que o modelo fosse genuinamente brasileiro, que acontece quando o carro atinge o índice de nacionalização previsto pela lei.

O cenário da indústria automobilística brasileira era jovem, então o Fusca passou a ser um privilegio, a montadora nessa época tinha um motor de quatro cilindros refrigerado a ar com modestos 36 cv e um câmbio de quatro marchas não sincronizado.

→ História da Kombi no Brasil

Década de 60

Na década de 60, os carros que dominavam as ruas brasileiras eram os carrões americanos dos anos 40 e 50, e com a chegada do fusca e suas curvas arredondadas ele despontava como estranho e diferente em meio a tantas linhas retas.

O parachoque do fusca também era bastante diferente, era avantajado e reluzente, o motor beberrão, tinha seis ou oito cilindros, o que o tornava um carro apenas para as famílias mais abastadas da sociedade da época.

Pouco tempo depois, o Fusca já surgia como uma opção mais viável para a classe média, ele estava se fortalecendo e ganhando muitos fãs.

História do fusca no brasil

A alavancagem nas vendas do modelo Fusca no pais, fez com que ele se popularizasse rapidamente caindo no gosto de jovens e pais de família. Com isso, o carrinho de curvas arredondadas passou a fazer parte da história da maioria das famílias brasileiras.

Hoje ao conversar com qualquer pessoa com mais de quarenta anos, provavelmente ela irá lhe contar alguma lembrança a bordo de um Fusca.

Se tornando um carro popular

Aos poucos o custo do modelo foi barateando, era também um carro bastante econômico, a tração traseira e o assoalho eram firmes ideais para rodar nas estradas em estado mais difícil, com isso ele conseguia chegar onde os carros maiores e mais potentes nem sonhavam em passar.

A manutenção fácil, barata, a mecânica robusta e durável também foram um dos principais atrativos para que o modelo se tornasse líder em vendas em tão pouco tempo de mercado.

Em pouco tempo o Fusca veio ao encontro das necessidades de quem comprava seu primeiro carro e não dispunha de tantos recursos financeiros. Ele se tornou ideal para as classes mais simples.

Autoescolas e a polícia montaram frotas do veículo devido a suas diversas vantagens, e nos anos 70 ele também fez parte de diversas frotas de táxis do pais.

24 anos de liderança

Foram 24 anos como líder no mercado nacional, o mais vendido de 1959 até 1982. E graças a esse fenômeno mundial, a montadora se transformou em uma das maiores do mundo.

O Fusca ainda foi fabricado no México até os anos 90 com sua configuração original, e voltou a cena em meados de 1998, só que totalmente reformulado e com o nome de New Beetle.

Hoje, cinquenta anos depois do lançamento do primeiro Fusca no Brasil e totalmente brasileiro, ele continua sendo comercializado em nosso mercado.

Já o New Beetle, moderno e mais sofisticado, deixou de ser carro popular e entrou na categoria “carro de nicho”, ou seja, produtos vendidos em pequena escala para quem deseja um modelo bastante diferenciado.

O Fusca é hoje um carro para poucos, exatamente o contrário de seu conceito original. Mesmo com a mudança, não há quem olhe para o New Beetle e não reconheça o velho Fusquinha. A história do Fusca se mistura com a própria história do Brasil moderno.

Comentários