História do Ford Maverick no Brasil

História do Ford Maverick no Brasil.

Concebido para combater a invasão de europeus e japoneses no mercado americano, o Ford Maverick fez história por onde passou. Certamente, quem teve um modelo desses, foi muito feliz e tem boas lembranças desse carro.

O Maverick durante algum tempo foi considerado o “anti-fusca”, o que seria o modelo que viria a tirar o público da Volkswagen.

A História do Ford Maverick no Brasil começou em 1973 e ele foi fabricado no Brasil até 1979, seu lançamento tinha um enfoque comercial bastante diferente do americano.

→ A história do Fusca no Brasil

Infelizmente, o carro não foi sucesso em vendas como se esperava, mas ele se tornou lendário e até hoje é cultuado por pessoas de todas as idades. Ele foi sucesso, mas de maneira inusitada.

História do Ford Maverick no Brasil

História do Ford Maverick no Brasil

Em 4 de junho de 1973, o primeiro modelo Maverick de produção nacional deixou a linha de montagem para fazer história. No ano anterior, ele havia sido apresentado ao mercado no São do Automóvel de São Paulo, logo em seguida, sua campanha de marketing foi umas das mais bem vistas da indústria automobilística.

Como parte da campanha de publicidade do novo modelo Maverick, o primeiro exemplar do carro foi sorteado em meados de junho de 1973 no seu lançamento oficial para vendas.

Outra ação de marketing bastante inusitada foi realizada no Autódromo Internacional do Rio de Janeiro, em Jacarepaguá, onde foi organizado um grande dia para test-drive com a participação de jornalistas e convidados do evento.

Ao todo foram 9 Mavericks a disposição dos convidados.

Versões

As versões do Maverick incluíam o Super e o Super Luxo, tanto na opção sedã com quatro portas, como cupê com duas portas.

Motor seis cilindros em linha, V8, câmbio manual de quatro marchas no assoalho ou automático de três marchas na coluna de direção.

Já o modelo Maverick GT era considerado o top de linha, com produção limitada, faixas adesivas laterais, rodas mais largas e conta-giros sobreposto à coluna de direção do volante.

O motor de 8 cilindros do Maverick era muito potente, podia acelerar de 0 a 100 km/h em pouco mais de dez segundos.

Em pouco tempo o Maverick foi ficando de lado, as pessoas estavam preferindo outros modelos, entre os motivos, sua aceleração elevada que o tornava um modelo “beberrão”, ou seja, o consumo de combustível era elevado demais e pesava no bolso do consumidor

Novo motor

Em 1975 a Ford decidiu abandonar o modelo e substitui-lo por uma opção com motor mais moderno, de 2,3 litros, 4 cilindros em linha, comandos de válvula no cabeçote e correia dentada.

Esse novo motor deu ao veículo um desempenho mais satisfatório, assim como aceleração e menos consumo de combustível. Mas mesmo com as mudanças realizadas para manter o modelo com boas vendas, o declínio do Maverick seguia, o público não estava satisfeito mais.

Em 1976, na chamada fase 2 do Maverick, foram feitas ainda mais alterações estéticas, no motor e design, como uma nova tentativa de salvar o modelo e melhorar a opinião do público sobre ele.

Mas infelizmente, a montadora não conseguiu resolver os problemas e o Ford Maverick deixou de ser produzido em 1979. Foram vendidas 108.106 unidades ao todo.

Comentários