A história do Corcel I no Brasil

A história do Corcel I no Brasil.

Muitos carros antigos são tão marcantes que até os dias atuais as pessoas se interessam por saber mais sobre eles. Alguns ganharam versões novas, outros saíram de linha, mas continuam na memória dos brasileiros. Um desses carros marcantes é o Corcel da montadora Ford.

O Corcel esteve em nossas ruas e estradas de 1968 até 1986 (18 anos), durante o período somou mais de 1,4 milhão de unidades produzidas, com isso ele acabou fazendo história, pois criou um novo padrão no segmento de carros médios. O Corcel, daria origem a uma família de veículos que faria muito sucesso pela frente, são eles: a Belina, Pampa, Del Rey e a perua Del Rey Scala.

A história do Corcel I no Brasil

Confira agora a história do Corcel I no Brasil.

A história do Corcel I no Brasil

O projeto inicial do Corcel foi chamado de “M”, desenvolvido pela Willys-Overland do Brasil em parceria com a Renault em meados de 1967 quando foi adquirida pela Ford. Até chegar na versão final do modelo foram feitas várias adaptações no câmbio, motor e suspensão, tudo isso para atender as exigências do mercado brasileiro, diante disso o modelo cumpriu a missão de se transformar no carro de maior volume da marca Ford, logo no primeiro mês de vendas, mais de 4.500 unidades foram vendidas e no primeiro ano quase 50 mil unidades.

→ A história do Escort no Brasil

A escolha do nome para o projeto “M” foi feita a partir de uma lista com cerca de 400 opções, Corcel, foi o escolhido e tinha como inspiração um outro carro também de muito sucesso na época, o Mustang, cujo nome da mesma forma inclusive fazia referência a raça de cavalos.

O design do sedã familiar foi elaborado com linhas simples e bastante equilibradas, com 4 portas, tração dianteira, excelente espaço interno, banco confortáveis e direção leve. O motor de quatro cilindros, 1.3 de 68 cavalos brutos de potência, fez história. Outra característica marcante era o seu radiador selado, que dispensava reposição de água.

Versões

Pouco tempo, em meados de 1969, depois do grande sucesso do Corcel I foram lançadas outras versões do modelo, uma com apenas duas portas e a esportiva GT, com teto de vinil, rodas especiais e faixas pretas nas laterais e capô da lataria. Já em 1970 foi lançada a perua Belina.

Considerado o primeiro sedã compacto da Ford no Brasil, o Corcel I, foi apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo, em 1968.

Sobre o Corcel II

Após 10 anos de muito sucesso era hora de uma grande mudança no modelo, que aconteceu no final de 1977, logo depois chegava ao mercado o Corcel II, com a carroceria totalmente diferente, em versões básica, de luxo e esportiva. Por ser mais larga e baixa, o carro parecia visualmente ser maior, embora eram do mesmo comprimento todas as versões.

Vale destacar que, o modelo foi um dos primeiros carros nacionais movidos a etanol. No ano 1980, o Corcel II saia de fábrica equipado com propulsor de 1,6 e ainda por cima atingiu a marca de um milhão de unidades produzidas no pais.

Em 1986 saia de linha o Corcel, já a Del Rey e a Belina duraram até meados de 1991. Além de gerar uma família de com certeza deixou saudades, o Corcel durante sua trajetória conquistou três títulos de Carro do Ano da Autoesporte em 1969, 1973 e 1979.

Comentários